Barnaby Whitfield







  
Bruna Patrizia Maria Teresa Romilda Lombardi, nasceu em São Paulo, 

1 de agosto de 1952, mais conhecida como Bruna Lombardi, é uma atriz,
modelo e escritora brasileira.
É filha de Ugo Lombardi e está casada com o ator Carlos Alberto Riccelli 

com quem tem um filho, Kim, nascido em 1981. A família vive nos Estados 
Unidos da América.
Em 1967, começou a trabalhar como modelo. Sua estréia na televisão foi 

em 1977, na telenovela Sem Lenço, Sem Documento, de Mário Prata. Em 1978
foi para a TV Tupi para trabalhar na telenovela Aritana, onde conheceu o 
 ator Carlos Alberto Riccelli, seu marido. Bruna voltou para a Rede Globo
para atuar na minissérie Avenida Paulista, de 1982, escrita por Daniel Más 
e Leilah Assumpção, e, em 1983, interpretou Patrícia em Louco Amor, telenovela 
escrita por Gilberto Braga.
Em 1985 atuou como Reinaldo Diadorim na minissérie Grande Sertão: Veredas,

da Globo. Em 1986 protagonizou a minissérie Memórias de um Gigolô e a 
telenovela Roda de Fogo. Em 2002 fez a sua última aparição em televisão,
na série da Globo O Quinto dos Infernos.
Em 2005 atuou como roteirista e como atriz do filme Sob o Signo da Cidade,

dirigido por seu marido e rodado em São Paulo. No filme Stress, Orgasms, 
and Salvation, do mesmo ano, com direção do Carlos Alberto Riccelli, Bruna atuou e assinou o roteiro.
Foi também apresentadora de um programa de entrevista com personalidades

chamado Gente de Expressão, apresentado aos domingos, no final da noite, 
na Rede Manchete. No programa participaram como entevistados grandes 
celebridades, tais como Mariah Carey, Dustin Hoffman, Jean-Claude Van Damme 
e Mel Brooks.
Posou para a revista Status, na edição de junho de 1980, e para a Playboy (destaque 

na capa) em janeiro de 1991.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Bruna_Lombardi
*****

Barnaby Whitfield



 

 

 

 

 

 



Cio



Quero dormir com você ou pelo menos
Te dar um beijo na boca
O meu amor não tem pudor, nem acanhamento
Não tem paciência, não agüenta mais
A urgência do desejo
E eu te olho, te olho, te olho
Como se dissesse.



Penso, ele há de perceber, me encosto um pouco
Espero um gesto, um sinal, uma atitude
Que eu possa interpretar como uma resposta,
Uma indicação,
Mas você é um homem sério e continua
Se escondendo atrás dessas teorias
E nem te brilha no olho uma faísca de tentação.



Aí que aflição
Pensar no que eu faria
Se pudesse.



Desejo que não acontece
Fica parado no peito
Aí vira obsessão.




Bruna Lombardi

Barnaby Whitfield



Barnaby Whitfield


Os trabalhos de Whitfield são ao mesmo tempo desesperançadamente românticos e contemporâneos. Seu trabalho simultaneamente revela inspiração do retratismo da era rococó e da publicidade contemporânea da moda. Ele mescla citações de velhos mestres com imagens pinçadas da internet. O resultado é um trabalho recheado com piadas próprias, que pertencem à psique do século XXI.  Os personagens de Whitfield são registrados em uma técnica pastel entre o suave e o sonho, com seus corpos brilhando em suas luzes internas, mas perversamente marcados por sinais doentios que fazem alusão à carne com hematomas, esfolados e ferimentos. Algo ameaçador parece se apoderar dessas belezas em pastel e as dicas narrativas são compulsivamente compostas para permitir ao expectador uma visão parcial, porém mantendo suspense até o fim. A indecifrabilidade do grande simbolismo pessoal de Whitfield começa a se quebrar em forma de dicas até a superfície das apropriações do artista, iluminando o desenvolvimento de seu vocabulário artístico pessoal.

Whitfield cava intimamente em suas próprias narrativas pessoais. Ele vem posicionando seus personagens em um universo contextual bizarro de visão única, onde mulheres explodem para fora de seus jorros de prazer, e as leis da terra são ditadas por um desavergonhado falocentrismo. Uma pulsante força da vida frequentemente emana da retaguarda para dar vida à presença do sujeito, proporcionando fisicalidade à infantil fascinação do artista por amor e horror.  O artista desempenha uma comprometida exploração do paradoxo da beleza na feiúra. 

Nascido em Miami, Florida, em 1972, Barnaby Whitfield vive e trabalha em New York, onde mantém uma reputação de “um caráter colorido com um passado que não é muito enquadrado" (Anthem magazine, 2008). O trabalho de Whitfield despertou muita atenção por meio de muitas exposições na 31 Grand Gallery, NY, além de ser exibido em muitos outros eventos. E mereceu análises em diversas publicações, incluindo Anthem, Beautiful Decay e Art in America.






Contato

  





 



 

 



Sob o Signo da Inquietação



O susto em nós foi avançar 
muito para dentro do proibido. 
Muito para perto de uma zona perigosa 
A boca da noite... o desconhecido... 
Vagos caminhos de uma via nebulosa. 


   
Vários conceitos para falar da mesma coisa 
O susto em nós foi descobrir porteiras 
de territórios nunca antes percorridos 
No fundo de todos nós um visitante 
No fundo, a falta de sentido... 


   
Visitantes de nós mesmos cometíamos 
a imprudência de quase enlouquecer 
Para chegar à compreensão. 
E uma coisa afiada nos conduzia 
através da trilha da poesia 
e do difícil trajeto da paixão....





Bruna Lombardi




Barnaby Whitfield



 

 

 

 

 

 

 
Que me venha esse homem


Que me venha esse homem
Depois de alguma chuva
Que me prenda de tarde
Em sua teia de veludo
Que me fira com os olhos
E me penetre em tudo



Que me venha esse homem
De músculos exatos
Com um desejo agreste
Com um cheiro de mato
Que me prenda de noite
Em sua rede de braços



Que me venha com força
Com gosto de desbravar
Que me faça de mata
Pra percorrer devagar
Que me faça de rio
Pra se deixar naufragar



Que me salve esse homem
Com sua febre de fogo
Que me prenda no espaço
De seu passo mais louco
Que me venha esse homem



Que me arranque do sono
Que me venha esse homem
Que me machuque um pouco.



Bruna Lombardi


Barnaby Whitfield



 

 

 

 


 
PRINCÍPIO



Na paixão de um homem, na inquietude
das feras, no vermelho
que o fio da lâmina provoca
o olho acostumado a perscrutar
as máscaras, as almas, o que não se confessa.


Na origem profunda do ser
Onde tudo começa
na sua luta contra o tempo
e contra a natureza


Em tudo há o desgaste
em tudo o conflito se apresenta
raiz do ataque e defesa
há o mar, a fúria do mar
e a força da rocha que o enfrenta.





Bruna Lombardi




Barnaby Whitfield



 

 

 

 

 

 



A VIAGEM DA PAIXÃO




Tenho os caprichos inerentes à natureza da mulher
abro a caixa de pandora que eu quiser
e lanço mão de todo mal e todo bem
avanço a passos largos
alcanço o ponto extremo e vou além
onde se estende a palpitação das células
e se prolongam feixes de neurônios
onde se nasce, morre ou se enlouquece
íntima de deuses e demônios.
Onde habitam as feras, os espíritos das florestas
onde se determina a primavera
e se marcam as nossas testas.
Onde se aprende a sabedoria do fogo
e todas as forças de atração
e se descobre o ponto que orienta
esse mapa de navegação.
Estrela solitária, asteróide desgarrado
luz que aponta o caminho
da viagem da paixão




Bruna Lombardi


Barnaby Whitfield



 







 



PACTO




Entre o teu signo e o meu

existe uma possibilidade

de veneno

umas tintas de vermelho

meu moreno



E  se a paixão há de ser provisória

que seja louca e linda

a nossa história.
 
 
 
 Bruna Lombardi


Barnaby Whitfield








 



 

 

 


 
Intervalo



 
João, nós temos visita
vamos fingir felicidade
a casa organizada
os sentimentos em ordem
Vamos fingir harmonia
e equilíbrio emocional
vamos pôr a empregada
de avental.
Vamos sorrir serenos
falar baixo, pisar leve
(que a paz more conosco)
mesa posta, flor no vaso
cerimônia, chá servido
comentários em geral
-João adora... eu prefiro
você também? que engraçado
É, a vida é assim mesmo
mas não há nenhum problema
que não possa ser superado-
E depois etc. e tal
tudo em volta funcionando
com a maior perfeição
todos os gestos medidos
para dar boa impressão.
As coisas dentro dos eixos
o coração em horário
João, nós temos visita
tira o jornal do sofá
guarda a angústia no armário.
 
 
 
 
 
Bruna Lombardi