Ruud Van Empel






Nos meus documentos, sou Patrícia Del’Anhol da Silveira.
Em meu mundo poético, uso o pseudônimo de Paty Padilha.
Gosto também o de Fada Ruiva. Amo as Fadas!
Sou uma Poderosa Sagitariana, com ascendente em Capricórnio, 

nascida em 06.12.1968 em Goio-Erê – PR. Comecei a escrever 
no início de 2008 ou seja, passei para o papel aquilo que estava 
(guardado/armazenado) em minha mente há anos.
O vento e mar muito me agradam, eles me inspiram e me 

fazem sonhar.
Minha Inspiração? Ah! As pequenas coisas, os pequenos 

detalhes, bastam para que eu me sinta inspirada e ansiosa, 
para colocar no ‘papel’ todos os sentimentos que hora me i
nvadem, hora me angustiam.
Escrevo sobre a Alma da Mulher, tudo o que a encanta

e fascina.
As Fadas e as Borboletas, são suas amigas e elas tem 

um lugar de destaque em minhas poesias.




Ruud Van Empel



 



 





Adoro Voar!



Meu vôo é certeiro, vou além das nuvens,
Abro as portas do céu, escancaro suas janelas.
Arranco as cortinas do tempo, e dou aquela espiada.
Vou além das estrelas, contornando a lua.



Dou voltas e reviravoltas, nas ruas do universo.
Mesmo sem mapas, não me perco, não tenho medo!
No caminho, encontro com outros seres alados.
Traçando seus destinos, opostos ao meu.



Aproveito e mergulho nas outras galáxias
Danço com os pássaros que flutuam sobre a atmosfera
Abraço as primaveras da alegria



Tenho cuidado para não abater o vôo das borboletas
E vou bailando com movimentos suaves, delicados.
Vou voando na direção do meu amor!



Paty Padilha

Ruud Van Empel



Ruud van Empel


O fotógrafo holandês Ruud van Empel produziu fotos mágicas, encantadoras, em  “Kids,” uma apresentação na Bell Gallery, da  Brown University, focada em fotos de crianças manipuladas digitalmente. Como escrevi em minha análise: Essas fotos, de 2003 a 2006, foram montadas combinando umas cem imagens em uma única cena. Elas lembram as fotos de sonho da dupla francesa Pierre e Gilles;
as frias fotos de crianças da fotógrafa alemã Loretta Lux e as cenas da população negra de Chicago, pelo pintor Kerry James Marshall (com sua pele simplesmente pintada de preto).

As cenas de Van Empel estão povoadas com cores vívidas, e alterações de escala e espaço. Crianças aparecem em roupas de domingo ou simplesmente vestindo calções. Ele frequentemente enquadra suas cabeças, braços, pernas e roupas separadamente, dando muitas vezes uma aparência de boneca. Ele tem um incrível olho para detalhes, que produz uma cena pop, como uma violeta em meio a uma folhagem verde. Entãon Van Empel, um holandês branco, clareia ou escurece tons de pele para enfatizar a raça das crianças. Ele retrata crianças brancas em florestas e crianças negras em selvas. De um lado, cenas como mini-Edens, puras e sagradas. De outro,  força estereótipos de princesas arianas e tribos primitivas.
É um território eletrificado, perigoso.



Ruud Van Empel, que nasceu em 1958 em Breda, Holanda, vive e trabalha em Amsterdam. É formado pela Academy of Fine Arts Sint Joost Breda em 1981.











 

 


Banho de Vida!



Nua,
De corpo, de alma, e do ser.
Abro a torneira
Água caindo
É melodia.
Estou sob a água
Que ela caia sobre os meus olhos
Escorra pelo peito
Lava-me toda.
Ali posso chorar
As lágrimas
Misturam com a água que cai.
Água que cai
Me limpa o rosto
Das lágrimas contidas,
Me limpa o coração
Estou pronta.
Tua pureza me ajuda
Carrega as minhas dores
Tira-as de mim
Me limpa
Me hidratada o corpo e coração
Trata-os com carinho.
Purifica-me
Contigo sinto-me sempre pronta
Para mais um dia de vida.



Paty Padilha


Ruud Van Empel



 

 

 

 


Banho de Chuva!



Será que existe
Algo mais delicioso
E contagioso
Que um peito aberto,
carregado
De sentimentos sinceros?
Impossível!
Quanto a mim admito,
Sou sincera ao extremo
Não sei ficar
Em cima do muro
Isso é um dilema.
Quem está na chuva,
Vai ter que se molhar
Pelo menos
Um dedinho do pé,
Até ficar encharcado
Palavras são poucas
Para dizer que sou totalmente
Frenética.
Adoro tomar banho de chuva
E lavar minha alma!



Paty Padilha



Ruud Van Empel



 

 

 





 



Brincando com as palavras



Vou brincando com as palavras...
Minha imaginação cria asas,
Aqui posso ser o que eu quiser
Uma Princesa Apaixonada,
Hora Bruxa Malvada,
Hora Fada Encantada,
Habito em Castelos Mágicos
Com Reis e Rainhas,
Onde tudo é regado à magia,
Onde os pequeninos beija-flores
Voam por entre os jardins.
Onde o amor é o sentimento mais puro,
A alegria estampada no rosto,
Onde a fantasia tem lugar de destaque,
E todos os sonhos são realizados.




Paty Padilha

Ruud Van Empel







 

 

 

 




Descanso Encantado




Viver...
Me estendo na grama
Leio um livro,
Fico fascinada com os pássaros que lá estão.
E voando,
Me deixo voar com eles, vou migrar, ao vento.
Vou saboreando os cheiros,
Bebendo do pensamentos,
É o meu descanso
Encantado.
Minha grama,
Meu livro,
Os pássaros,
Os cheiros,
O gosto.
Meus vôos em pensamento.


Paty Padilha

Ruud Van Empel



 

 

 

 



Minha Doce Vida!



Minha vida
É encantada e doce,
Como doce é minha alma.
Carrego comigo
O brilho das lantejoulas,
E das delicadas purpurinas.
Meu perfume é gostoso,
Tem aroma de flor
Que acabou de desabrochar
Numa manhã de verão...


Paty Padilha


Ruud Van Empel



 




 

 

 

 


Felicidade, é viver!

Doçura que é viver
Amo a vida
Encanta-me,
O simples fato de estar aqui

Vivo minha vida,
Com uma imensa alegria
Sou feliz por viver.


Paty Padilha




Ruud Van Empel


 

 

 

 




Meus vôos de Fada



Vôo por tantos ares
Mergulho em muitos mares
Desvendo florestas.
Procuro meu canto.
Sou feliz onde encontro abrigo,
Um lugar amigo
Onde pousar.
Encontro só beleza!
Quero viver sem maldade,
Encarando de frente a saudade
Vivendo só de verdades
Encontrando minha felicidade!




Paty Padilha

Ruud Van Empel


 





 

 


Noite de Luar



Seja minha Lua
Vem de longe
Faz de mim teu céu



Paty Padilha