Valentin Rusin









Deus na Antecâmara


Mereço (merecemos, meretrizes)
perdão (perdoai-nos, patres conscripti)
socorro (correi, valei-nos, santos perdidos)


Eu quero me livrar desta poesia infecta
beijar mãos sem elos sem tinturas
consciências soltas pelos ventos
desatando o culto das antecedências
sem medo de dedos de dados de dúvidas
em prontidão sangüinária


(sangue e amor se aconchegando
hora atrás de hora)


Eu quero pensar ao apalpar
eu quero dizer ao conviver
eu quero partir ao repartir
filho
pai
e
fogo
DE-LI-BE-RA-DA-MEN-TE

abertos ao tudo inteiro
maiores que o todo nosso
em nós (com a gente) se dando


HOMEM: ACORDA!



ANA CRISTINA CESAR


2 comentários:

Alminha Iluminada disse...

"Todo artista molha seu pincel em sua própria alma, e pinta sua própria essência em seus quadros."

(Henry Ward Beecher)

MÁGICO!!!

Fada do Mar Suave disse...

Amigos visitantes, que prestigiaram esta página o meu agradecimento e o meu carinho, pois sua presença é muito importante, assim vamos nos aprimorando cada vez mais, tornando este espaço prazeroso para sua volta.
Com carinho da Fada do Mar Suave.