Zhong-Yang Huang







Assombrado.


As amarras se complicam
ao caminhante que oscila
na perda do espontâneo.
Assombrado pelo medo,
pela crítica,
navegante de si mesmo
recua, se refugia
sem coragem de enfrentar
O olhar iluminado,
a paz libertadora,
nas profundezas
do mar...

Gaiô




2 comentários:

HELO disse...

Sem palavras diante de tão maravilhoso poema!!
com carinho
heloisa crosio

Fada do Mar Suave disse...

Quanta emoção, Gaiô! Ter uma amiga como você é um presente de Deus! Linda, inteligente, sensível, etc.. etc.. todas as qualidades do mundo! Só tenho a agradecer e muito!
Desejo a você e ao artista Zhong-Yang Huang e a todos os amigos que aqui passaram, que 2012 seja cheio de luz, de sonhos, de esperança e realizações... Que a magia do amor esteja em todo o lado... que a vida seja bela e poética...
Ah! Também um ano novo cheio de saúde, amor, paz e muita felicidade!
Com amor da Fada do Mar Suave.