Stefan Blöndal

 


Stefan Blöndal


Nascido em Copenhagen, em 1964, o dinamarquês Stefan Blöndal cresceu em um ambiente musical e sempre cercado pela arte. Começou sua carreira artística a partir dos 14 anos, com criações em crayon e tinta, de forma bastante determinada em aulas no famoso Museu Dinamarquês (Danish Museum). Desde seus primeiros trabalhos, o artista já rejeitava convenções teóricas da arte contemporânea, como que criando sua própria partitura. Sua outra paixão focava pássaros predadores e tornou-se amestrador treinado de falcões, o que naturalmente estava retratado em sua arte.
Aos 20 anos conheceu sua futura esposa, a pianista  Nina Kavtaradze, que passou a exercer enorme influência sobre suas pinturas, como modelo e como crítica. A rigor, foi ela quem levou Blondal a partir para a pintura a óleo, abrindo uma nova dimensão em sua história como artista do branco-e-preto. Tanto que em 1987 o artista promoveu sua primeira exposição, “com uma coleção de pinturas poderosas”, no dizer de um crítico. O artista se divide em períodos, caracterizados por um interesse figurativo natural, que passa por retratos e nus, frequentemente elaborados em formato feminino e demonizados, até amadurecer a fascinação da multiplicidade de formas e combinações de cores.



  

  

  

  

  

 



Ciranda Sem jeito



Não sei muito bem porque escrevo
talvez
quando a alma vagueia
à procura de letras
a vida truncada
no varal aqui fora
estremece

será sempre?
ou por um átomo de tempo?

(nada sei muito,
tampouco)

escrever frases desconexas
para gerar o absurdo
dos encontros
mais belos

criar o avesso
de uma saia rendada
e girar
girar
numa ciranda sem jeito

(de que me resta o sentido de ser?)


Ana Paula Perissé



Sou qualquer coisa que vive na vertigem de ser, que sonha e que se perde, que se reencontra na pulsão vívida do Outro ou que foge do local onde está para voltar e escapar virada e remexida em minhas entranhas...
Sou apenas uma viajante, aprendiz do tudo e do nada,
Quem sou eu???? Nunca saberei, posto que não sonho com certezas...
Ah! Definições! Ah! Clarice!
Sou casada, tenho um filho muito amado, sou cidadã carioca e luto muito para continuar sendo. No cotidiano, sou publicitária e sigo carreira acadêmica. Já estudei no exterior e hoje faço doutorado na UFRJ.
Meus trabalhos publicados estão concentrados na área científica, porém participei como poeta, da Antologia Dellicatta III, lançada na Bienal do Livro em São Paulo.
Gostaria de, em paralelo ao trabalho acadêmico, continuar meu ofício de poeta e de escrevinhadora (para escritora, estou muito longe..., tanto a aprender!) porque todos os leitores merecem minha honrosa reverência.


11 comentários:

A dúvida da ovelha disse...

Parabéns a estes dois grandes talentos, Stefan Blondan na arte visual e Ana Paula Perissé na escrita. Uma união perfeita e belíssima.

Brisa disse...

Fada amiga,tudo bem?
Obrigada por seguir meu amado espaço!
Adoreiiii os talentos encontrados em seu blog;genial!!!
Quantas verdades nas palavfras de Ana Paula Perissé:(...)escrever frases desconexas
para gerar o absurdo
dos encontros
mais belos(...)
Posso usá-las em destaque no E O VENTO LEVOU?
Sopros da brisa amiga,
Cris

Nicolas disse...

Fantástico!

Ana Clara Couto/couto.anaclara@gmail.com disse...

Esta postagem é de uma beleza extraordinária e fascinante.Amei de coração!

Liliam Costa de Mendonça disse...

OS DEGRAUS

Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos - onde
Os deuses, por trás das suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida!
E é um sonho louco este nosso mundo...

Mario Quintana - Baú de Espantos

Amei e idolatrei a galeria de artes, todas as poesias e a música.
Parabéns a todos que participaram desta postagem. Bjs e afetos de Liliam

Lilás disse...

Retornei para me emocionar mais. Deixar meu coração contente e minha alma leve ao contemplar toda a beleza da obra de arte.
Mais uma vez parabéns, e estas poesias me pegaram e entraram direto em meu core. E agora?
Bjs

Leninha.Sol disse...

Teu bom gosto é surpreendente!
Meu beijo.

Rita Lazzarini da Penha disse...

Fada, neste blog encontro verdadeiras obras de artes, Stevan Blondal da um show de suavidade, cores e nuances de fino trato e acabamento. Muito bom contemplar suas telas. A poesia é tenaz, intensa e vivaz. Esta poeta é um vendaval intenso de palavras. Chego a suar e já não paro de ler suas poesias. Esta música é muito linda, assisti ao filme Duets e adorei e a muito que não ouvia esta preciosidade. Bárbaro esta liga artística que da tão certo.
Vou continuar por aqui. Abraços da Rita

Fada do Mar Suave disse...

Ana

Amiga querida e amada. Meus parabéns! Muitas felicidades hoje e em todos os dias de sua vida. Que Deus abençoe e ilumine seu caminho, trazendo paz, amor, inspirações e muita alegria.
Receba o carinho de todos os visitantes deste espaço e continue nos brindando com seus lindos poemas, sua beleza e inteligência.
Com muito amor da Fada do Mar Suave.

Carlos Eduardo Barbosa Lins disse...

Fada do Mar, seu espaço está sendo responsável pela minha cultura visual, pictórica, imagética e também a poética das palavras sensíveis. Responsável pelas minhas mais finas emoções. Sinto a transformação e a evolução em meu ser ao acompanhar dia a dia esta escola de artes. Seu sucesso é merecido e gostaria que recebesse os mais sinceros agradecimentos por ter aberto estes braços de Fada rainha e me apreendido junto a você.
Abraços de Carlos Eduardo

Fada do Mar Suave disse...

Dear Stefan,

I felt a strong emotion when I saw your art, full of enchantment, magic, symbols and meanings. It has been a pleasure to have you here with us. We had excellent comments from our viewers and from Ana Paula Perissé, the poet who was published together and just loved to be linked with your paintings.
Please keep visiting us.
Best wishes
Fada do Mar Suave.