Olga Oreshnikov

 

  

  


 
Da insignificância de minha vida

“É tão belo como um sim / numa sala negativa.
... Belo por que é uma porta / abrindo-se em mais saídas...”.
(João Cabral de Melo Neto)


Desejo ser um poeta como Pablo Neruda
Quero sentir a humanidade de Álvares de Azevedo
Escrever com sangue tal como Clarice Lispector
Delicadamente como Cecília Meireles e Ferreira Gullar
Sensivelmente como Cora Coralina
Amar como Carlos Drummond de Andrade e Vinícius de Moraes
Se entregar como Camilo Castelo Branco
Sofrer na alma como Augusto dos Anjos
Falar como Gregório de Matos
Instigar como Adélia Prado
Ver como Fernando Pessoa e Mário Quintana
Atingir o estômago como faz Florbela Espanca
Sujar as mãos como Bertold Brecht
Limpar a alma como Dostoievski, Sartre ou Camus
Morrer como Murilo Mendes
Viver como Chico Buarque
Descrever como Euclides da Cunha
Enlouquecer como Lima Barreto
Elucidar como Machado de Assis
Tornar-me íntegro como Gilberto Freyre e Florestan Fernandes
Otimista como Adriano Suassuna e Darcy Ribeiro
Ser incansável como João Guimarães Rosa e Graciliano Ramos
Realista como Castro Alves e João Cabral de Melo Neto
Tocar como Tom Jobim
Cantar como Elis Regina...
Diante de tanta divindade... é belo ser insignificante.


Lúcio Alves de Barros


3 comentários:

Anônimo disse...

Amadíssima Fada do Mar, tu não imaginas o quanto tenho me deliciado com os prazeres proporcionados por você neste espaço de puro encantamento e deleite. Estou cá lendo Lúcio Alves de Barros, um poeta realista, mas lírico e telúrico, penso que eles sabem cantar, poetar as dores do mundo com seus talentos artísticos. Fico olhando este quadro que movem a beleza da arte como um tabuleiro de xadrez. Mais um achado fantástico pelos olhos felinos e lindos de uma Fada do Mar, (são tão verdes, não). Logo não os esqueço, embora
este olhar nunca foi meu. Sinto falta dos debates filosóficos em sala de aula, principalmente os travados com o Prof. Newton e os melhores da classe, sempre com sua bela e forte presença. Esta música de Dylan na voz de Katie Melua é para arrematar ou arrebatar minha noite, que sei que será cheia de sonhos. Bom, fica aqui meu abraço que não demos pelo desencontro da vida. Te acompanho!

Helena Coutinho Benjamim disse...

"Por sabedoria entendo a arte
de tornar a vida mais agradável
e feliz possível"

Arthur Schopenhauer


Parabéns pela beleza do blog. União feliz da poesia, plástica e música onde encontramos a perfeição.

Fada do Mar Suave disse...

Lúcio

Estou exercitando a vida para encarar mudanças. Quando gosto de uma página, é sempre triste fechá-la, mesmo sabendo que logo faremos uma nova. Suas poesias sempre emocionando a todos que a lêem e a sentem. Você é sempre um sucesso e traz luz para nosso Blog.
Muitas pessoas entraram no Portal do Luis Nassif e comentaram comigo que gostaram muito, pena que não deixam o registro, por não sentirem à vontade de escrever.
Estou aguardando aquelas apimentadas, para o Amor em Vermelho, que serão lindas e emocionantes como tudo que você escreve.
Agradeço sempre a parceria, gentileza e a sua amizade que prezo muito.
Beijos da Fada do Mar Suave

Olga Oreshnikov, sua arte é belíssima e agradou todos que passaram aqui. Conhecer sua arte deixou meu coração feliz e cheio de emoção. Agradeço por ter tido a sorte de postá-la neste blog.

Aos amigos que aqui passaram e deixaram seus registros os meus mais sinceros agradecimentos, pois tudo é feito com carinho, pensando em vocês. Voltem sempre!