Chelin Sanjuan Piquero









Tecendo a cada dia seu fio.



Trama em fios o tempo, a roda viva,
a cada dia seu fio, morte e vida.

Sentimentos vestem sonhos 
puídos de tão vividos,
de atritos vestidos, frios,
acabamentos sombrios.

Das sobras que se entrelaçam, 
esgarça em cadeia o fio.
Rasga incontida intenção
tece imaginação.
Cria, confia em fiapos o vazio,
se abraçam despojados 
em grandeza e contemplação.

Tão simples e tão difícil,
se arroga o direito ao fio 
que macio concede à seda, 
o prazer de se sentir todo em cetim.
Em brancura rebordada
em ritos sacramentados, 
segredos de maciez, delicada,
sem medo do vir a ser.

Toca, cheira, roça frases, 
na pele da fiandeira 
guarda a vida, memória tecida outrora,
relíquia no templo da aurora 
onde nasce o anoitecer...
por ser...


Gaiô

2 comentários:

A dúvida da ovelha disse...

Avassalador e arrepiante!

Fada do Mar Suave disse...

Gaiô agradeço a colaboração para este blog. É um privilégio ter uma amiga e poeta maravilhosa como você. Sua poesia encheu a alma de luz e beleza a todos que a leram e sentiram.
Chelin Sanjuan Piquero participou com sua arte belíssima e perfeita. Amamos conhecê-la e a galeria brilhou e encantou. Foi uma alegria fazer sua galeria.
E agradeço do fundo do coração a todos os amigos que deixaram suas mensagens aos artistas que participaram desta página e a elaboração do Blog, com isto deixando-me mais animada para continuar trazendo o que há de melhor para vocês.

“Pintura é poesia silenciosa, e poesia é pintura que fala”.
Simônides

Com carinho da Fada do Mar Suave.