Rachel Ferguson









Abissal de tempo


e então 
à beira de teu perfume que se esvai
aonde eu fico,
por Deus?

E o sol aparece
e se esconde
bailado cruel de luminosidades
e eu tenho medo
sem entender
o ritmo da vida

E a cada sopro
ou brisa 
que me chega de ti
eu me alimento
e eu respiro
para logo em seguida
perder-me

neste caminho 
que sempre foi o nosso
uma abissal de tempo
e de vozes
olho no olho
da pupila do mundo
em nós


Aonde eu fico?

(Dentro de mim
ainda e sempre
aquela essência)

Alquimia nossa.



Ana Paula Perissé

3 comentários:

Anônimo disse...

Que poesia linda!!!!

Nenê Duarte disse...

"Aonde eu fico?"
Fiquei arrepiada quando li esta poesia. Não imaginas o quanto identifiquei-me com ela. Lindíssima!
Amei Rachel Ferguson e a música.
Tudo mágico e amei de paixão.
Abracinhos

Fada do Mar Suave disse...

Agradeço a poeta Ana Paula Perissé que trouxe seu encanto para este espaço deixando-o mais interessante e belo. O meu carinho aos amigos que deixaram seus depoimentos nesta página.
Aqui sempre terá boas novidades e desejo que voltem sempre. Um abraço da Fada do Mar Suave.