René Magritte









Olhos de ver o silêncio.



Ouçamos o silêncio,
em frêmitos contemplativos
de pessoas que rápidas passam.

Cada qual com seu gemido
embutido, dormente, paciente,
desfiando novelos de sempre
em cotidianas mortes de espera
da longa jornada que vela
o por vir...
Desfia o tempo em estratos esparsos.
Espaço que estava acolá, ali, aqui,
em solidão se perdeu de si.
Ouçamos o silêncio,
em vibração atenta que busca
entre um e outro,
Um despertar do sono, da fuga,
pro sonho de novo, ouvir...
E ressurgir...



Gaiô.

http://recantodasletras.uol.com.br/autores/cidagaiofatto






3 comentários:

Nicolas disse...

Fada, você é uma pessoa maravilhosa, culta, inteligente, sensível, educada e muito fina.
Foi uma alegria fazer o curso sobre Kant com você, onde aprendi muito com sua sabedoria.
Agora apresenta Magritte e esta doce poetiza, só poderia vir de uma estrelinha iluminada que clareia onde está.
Um abraço de Nicolau Santana

maria tereza disse...

..linda sua poesia e arte...e 1 calmante matinal entrar neste blog...bem hajam

Vinicius Fernando disse...

Maravilhosoooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Explendorosooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!
Bravo!!! Bravíssimo!!!
Estou delirando.

Vinícius Fernando.