Hugo Pratt






O Quadro Cinzento




Grandes quadrados cinzentos

indistintos

Molhados

Mais escuros

Onde a chuva morreu

Me olham impassíveis

Não me falam e me dizem

Impossível.

Me cortam em pedaços

Bloco por bloco

Um monstro de concreto

Suor e ferro

Aparente

Inacabado

Milhares

Conjunto frio imóvel escorado

Canos da TVs

Propaganda

enorme

desbotada

Tudo num quadro sem moldura

Várias cores

Todas cinzentas

O cinza faz a hora

No fundo e no relevo

Céu e pombas





Roberto Queiroz




7 comentários:

Arlete Felfeli disse...

Que maravilha os desenhos de Hugo Pratt, estou adorando! A Poesia do Roberto é demais! Que maravilhosa combinação! Parabens, Roberto! Grande Poeta!!!! Parabéns FADA! Que maravilha ter trazido o Roberto Queiroz pra cá! E junto com Hugo Pratt ... este BLOG está demais!!!
Parabéns!!!
Beijos Fada querida!
Arlete Felfeli

Marcelo Mariano disse...

Magnífico! Supimpa! Há muito não lia uma poesia inteligente e com senso crítico, com forma e sensibilidade.
Hoje foi um show! O quadro cinzento bateu forte e é genial. R. Q. você é d+

Anônimo disse...

Parabéns! Ótima poesia e ótima arte.

Anônimo disse...

Grande Poeta!!!

lua disse...

MARAVILHOSA A POESIA DE ROBERTO, PARABENS.
BELAS IMAGENS DE HUGO PRATT.
ESSE BLOG DA FADA DO MAR ESTA CADA DIA MELHOR,
AMEI.

Paola disse...

Linda poesia. Parabéns!!!

Gilga Ferraresso disse...

Excelentes poesias! Já virei fã deste Blog, e aqui passo todos os dias.
Adorei todas as poesias que li e esta interessante arte.
Gilda