Alberto Pancorbo










Lisura


Entras na morte, 
 como se entra em casa, 
 desvestindo a carne,
 
 pondo teus chinelos
 
 e pijama velho.

Entras na morte, 
 como alguém que parte
 
 para uma viagem:
 
 não se sabe o norte
 
 mas começa agora.

Entras na morte, 
 sem escuros,
 
 sem punhais ocultos
 
 sob o teu orgulho.

Entras na morte, 
 limpo
 
 de cuidados breves;
 
 como alguém que dorme
 
 na varanda enorme,
 
 entras na morte.
 


Carlos Nejar

2 comentários:

Alminha Iluminada disse...

Beleza delicada!

Fada do Mar Suave disse...

Agradeço ao artista Alberto Pancorbo que gentilmente autorizou a postagem de sua arte neste espaço. Sua página está bela e significativa. Sua arte nos emocionou.
Agradeço a oportunidade de ter as poesias de Carlos Nejar para nosso deleite, adorei postá-las. E a todos os amigos que participaram o meu sincero agradecimento. Volte sempre, que aqui tudo é feito com carinho para você.
Beijos da Fada do Mar Suave.