Vincent van Gogh







Amargo Cansaço


Em homenagem a Fernando Pessoa e das muitas lembranças de seu "Poema em Linha Reta"




Esqueci do trabalho no dia de hoje
Esqueci mesmo...
Estava cansado e me atrapalhei com o tempo sujo
Me perdi no espaço nojento da vida



Um mal-estar invadiu minha alma atrapalhada
Uma náusea misturou a vida, espancando meu peito, meu jeito...
A culpa tomou meu espírito e pensei em Deus
Triste é o fim daqueles que são cobrados pelo trabalho



Horrorizado devido a incompetência da voz alheia
Que vomita palavras levianas sem saber dos acontecimentos
Sinto a culpa e a incompetência lúgubre de um corpo sem movimento
E por pouco não assassino o que resta de responsável em mim



A infelicidade faz parte de minha simples vida de ser humano
As cobranças não param e tal como as correntes do mar, aparecem mais fortes à noite
Sacudido pelo vento da perseverança, a mente dispara a adrenalina no corpo frágil
Corpo que trabalhar não foi. Estava cansado... arrebentado...



Mas os bípedes humanos não nutrem a compaixão
As organizações desejam resultados efêmeros e de pouca serventia
Acobertadas pelo manto da hiper-realidade pregam o nosso tendão
Esbofeteados pela vida, os seres humanos se apegam como se cachorros fossem...



Perdemos a capacidade de sentir pelo outro. Esquecemos a humanidade.
Não podemos errar? Não devemos demonstrar nossa vulnerabilidade? Onde estão o seres humanos?
É disso que é feito a vida? Faz sentido andar em linha reta?
Triste fim de mais um "Policarpo Quaresma"
(Lima Barreto).


Lúcio Alves de Barros


3 comentários:

Ana Clara Couto coutoanaclara@gmail.com disse...

Os mais sinceros aplausos a este belo espaço de criação renovando o belo e o deixando ainda mais belo com estas formatações e boa elaboração nas escolhas de primeira qualidade dos artistas postados.
Beijos na alma e continue a cada dia se renovando e assim também transpondo para nossa alma luz e amor.
Ana

Fada do Mar Suave disse...

Poeta Lúcio
Quero agradecer-lhe a nossa amizade, a sua contribuição com teus lindos versos, que tanto emociona a todos que lêem. Recebo com freqüência comentários apreciando e elogiando sua forma inteligente e corajosa de se expressar. Dizem, e eu concordo que seus escritos saem de sua alma direto aos nossos corações.
Você faz parte desta morada poética, iluminando com seu brilho que irradia. Deixando, assim, nossa morada povoada de vida que canta, encanta os seus mistérios e magias.
Com muito carinho da Fada do Mar Suave.

Analuka disse...

Maravilhoso, vibrante e sempre surpreendente, mágico, tocante, o trabalho deste grande artista!!! Bom passear por aqui e tomar um banho de cores e sensibilidade! Beijinhos pintados!