Marie-Paule Deville Chabrolle






Súbito golpe: as grandes asas a bater
Sobre a virgem que oscila, a coxa acariciada
Por negros pés, a nuca, um bico a vem reter;
O peito inane sobre o peito, ei-la apresada.

Dedos incertos de terror, como empurrar
Das coxas bambas o emplumado resplendor?
Pode o corpo, sob esse impulso de brancor,
O coração estranho não sentir pulsar?

Um tremor nos quadris engendra incontinenti
A muralha destruída, o teto, a torre a arder
E Agamêmnon, o morto.

Capturada assim,
E pelo bruto sangue do ar sujeita, enfim
Ela assumiu-lhe a ciência junto com o poder,
Antes que a abandonasse o bico indiferente?


William Butler Yeats
 (tradução:
Péricles Eugênio da Silva Ramos)
***

4 comentários:

Tania Rocha Paulino disse...

Fada

Que lindo!!! Que lindo!!! Escultura é minha arte preferida e está está deslumbrante. Mais uma saborosa surpresa. Agradeço amiga

Rebeca Sillas disse...

Fadinha, seu trabalho é maravilhoso, requintado e inteligente, talento e dom para a beleza, dádiva do céu, muita sutileza e sensibilidade... Obrigada por repartir conosco este acervo raro. Bjs

Potiguara Jardim da Costa disse...

Lindas esculturas e lindos poemas. Bela escolha. Sempre inteligente e adorável seu blog.

Glorinh@ disse...

Simplesmente maravilhoso...
Encantada com a suavidade das estatuetas...
Obrigada por compartilhar arte , beleza e poesia!