Marie-Paule Deville Chabrolle




Marie-Paule Deville Chabrolle

Pintora e escultora,nascida em 1952 em Meknes, Marrocos,vive e trabalha na França. Sua abordagem da arte é uma aventura muito pessoal. De cada encontro, de cada país que atravessou, de cada entrevista carrega uma forte imagem, retratando esculturas e sangue de uma forma geral, em uma visão holística. Dois anos na Faculdade de Belas Artes em Phnom Penh, no Camboja, contribuíram para moldar uma visão única, amalgamando lágrimas, os ocres e dourados de Marrocos e a beleza óbvia de esculturas Khmer, que escondem um mundo de equilíbrio e de silêncio. Marie-Paule dedica tempo integral a seu trabalho. A cada ano, três a quatro exposições individuais são dedicadas a ela na França, com exemplos na Art Gallery-La Baule, Galerie des Ducs-Beaune, Galerie d’Alp-Megeve, Galerie du Dauphin – Honfleur e Galerie Yves Degans – Reims.

devillechabrolle.typepad.com/.../06/le-nil.htm
http://deville-chabrolle.com/
Contato:
17, rue des Miches
89460 PREGILBERT
03 86 81 15 19
Fax 03 86 81 16 34 
sdc.editions@gmail.com







 

 

 





A CANÇÃO DO DELIRANTE AENGUS



Eu fui para uma floresta de nogueiras,
Porque minha mente estava inquieta,
Eu colhi e limpei algumas nozes,
E apanhei uma cereja, curvando o seu fino ramo;
E, quando as claras mariposas estavam voando,
Parecendo pequenas estrelas, flutuando erráticas,
Eu lancei framboesas, como gotas, em um riacho
E capturei uma pequena truta prateada.
Quando eu a coloquei no chão
E fui soprar para reativar as chamas,
Alguma coisa moveu-se e eu pude ouvir,
E, alguém me chamou pelo meu nome:
Apareceu-me uma jovem, brilhando suavemente
Com flores de maçãs nos cabelos
Ela me chamou pelo meu nome e correu
E desapareceu no ar, como um brilho mais forte.
Talvez eu esteja cansado de vagar em meus caminhos
Por tantas terras cheias de cavernas e colinas,
Eu vou encontrar o lugar para onde ela se foi,
E beijar seus lábios e segurar suas mãos;
Caminharemos entre coloridas folhagens,
E ficaremos juntos até o tempo do fim do tempo, colhendo
As prateadas maçãs da lua,
As douradas maçãs do sol.



 
William Butler Yeats


William Butler Yeats, muitas vezes apenas designado por W.B. Yeats, (Dublin, 13 de Junho de 1865 — Menton, França, 28 de Janeiro de 1939) foi um poeta, dramaturgo e místico irlandês. Atuou ativamente no Renascimento Literário Irlandês e foi co-fundador do Abbey Theatre.
Suas obras iniciais eram caracterizadas por tendência romântica exuberante e fantasiosa, que transparece no título da sua coletânea de 1893, The Celtic Twilight ("O Crepúsculo Celta"). Posteriormente, por volta dos seus 40 anos, e em resultado da sua relação com poetas modernistas, como Ezra Pound, e também do seu envolvimento ativo no nacionalismo irlandês, seu estilo torna-se mais austero e moderno.
Foi também senador irlandês, cargo que exerceu com dedicação e seriedade. Foi galardoado com o Nobel de Literatura de 1923. O Comitê de entrega do prêmio justificou a sua decisão pela "sua poesia sempre inspirada, que através de uma forma de elevado nível artístico dá expressão ao espírito de toda uma nação." Em 1934 compartilhou o Prêmio Gothenburg para poesia com Rudyard Kipling.







7 comentários:

Analuka disse...

Belíssimo o trabalho de Marie-Paule Chabrolle!!! Suas esculturas são figuras que parecem pulsar, além de formosas, são também sensuais e delicadas, como que flores que, apesar de "congeladas", continuam respirando, encantando, perfumando e tocando corações e olhos que as acolhem, que recolhem sua beleza, que se deixam embalar por sua leveza! Linda a arte dela, e belo o teu blog, caríssima amiga Fada do Mar,sempre trazendo talento, alma, cor, sensibilidade, seiva e sabor, traduzidos em múltiplas formas de arte, para deleite de seus visitantes e leitores. Beijos pintados, e muita luz e arte para ti, para nós, para o planeta, neste novo ano!!!

Nenê Duarte disse...

Que blog bom de visitar! Muita luz para iluminar meu espírito e poder absorver cada encanto que ele produz. A Galeria de esculturas mexe com meu ser e as poesias são além da beleza já lida e vista.
Parabéns Fada do Mar pelo trabalho sensato e rico.

Kátia Lyria Luz disse...

Fantastico!!! Um esplendor de esculturas, são lindas demais. As poesias também são fantásticas. Gosto deste blog recheado de grandes artistas, aqui sinto gosto de vir e permanecer. Obrigada por este dia de luz.

Anabell Lee disse...

Fada do Mar, lindos poemas de William Butler Yeats, que escreve com a alma, com a sensibilidade e também com a razão.
As esculturas de Marie-Paule Deville-Chabrolle, são perfeitas, cheia de charme e de beleza, coisas de uma grande mestra da escultura. Aqui vale a pena de parar para a contemplação, onde tudo é primoroso. Parabéns pelo seu talento em garimpar o que há de melhor no mundo das artes.
Anabell

Ana Rosa Assunção disse...

Adoro estar aqui neste mar azul poético. É algo mágico, cheios de encantos, fantasias, ternura e um lugar de aprendizado.
Parabéns por trazer maravilhas para seus amigos admiradores.
Abraços calorosos da Ana

Anônimo disse...

Maravilhoso seu espaço!

Flor ♥ disse...

Maravilhosas...

Bjs.