Jean-Baptiste Valadie

 

Jean-Baptiste Valadie

O artista não pinta seus sonhos, mas a realidade que pode ter sobre a tela. Ao fazer isso, transforma o seu próprio caminho; e se a criação for bem sucedida, toma a forma do seu ideal.
Jean-Baptiste Valadie nasceu em Brive-la-Gaillarde, em 1933. Desde os anos 50, quando era estudante de artes, buscava em seu trabalho cores mais brilhantes do que o cinza parisiense. E assim começa a carreira deste artista sensível. Logo completou sua paleta criativa, tornando-se, ao longo dos anos, um seguidor da gravura e litografia. Mais uma vez, comprova-se um perfeccionista, talentoso e completo no conhecimento, utilizando novas técnicas para aprofundar-se nos seus próprios prazeres da pintura.
   Junto com suas musas, VALADIE também é um grande paisagista, revelando uma enxurrada de tons quentes, mostrando harmonia em conjunto. Basta olhar para o seu "Veneza" azul para entender que ele pode reinventar uma cidade apenas com a iluminação sob uma nova sensibilidade. Jean-Baptiste Valadie continua suas criações, ainda estimulando pacientemente o caminho de seus desejos.


  
  

  

  

  

 

 

 



ALBA


Quando o rouxinol pra sua amada
Canta o dia todo e a madrugada
Com minha amiga deito de mãos dadas
Sob folhas,
Sobre flores,
Até que lá da torre o sentinela
Berra:


"De pé, malandro, Vai!
Que eu vejo a jovem
Luz
E a manhã já
Vem"



EZRA POUND


Ezra Pound nasceu nos Estados Unidos em 1885 e foi viver na Inglaterra a partir 1908. É considerado o grande responsável pela criação e divulgação da estética modernista da poesia no mundo todo. Na sua principal obra “Os Cantos”, podemos encontrar elementos da poesia chinesa e japonesa (haicai) além de elementos do trovadorismo. Foi criador do imagismo, movimento que pregava uma nova forma de criar poesia. Elas deveriam ter ênfase na clareza, sem excessos e nem rebuscamentos, dizendo o máximo possível com o mínimo de palavras.
Sua vida foi bastante agitada principalmente pelos seus protestos contra o modo de vida americano, pelas duras críticas à produção literária inglesa na época vitoriana e por uma simpatia ao fascismo italiano. Ao retornar aos Estados Unidos em 1945, foi preso acusado por propaganda fascista na Segunda Guerra Mundial, sendo apenas solto em 1946 quando foi declarado como doente mental e internado num hospital psiquiátrico em Washington. Após apelos de muitos intelectuais, Pound é liberado e passa a viver isoladamente em Veneza, na Itália, falecendo em 1972.
Aqui no Brasil, Pound foi dos grandes inspiradores de Décio Pignatari, Haroldo e Augusto de Campos para o surgimento da poesia concreta. Também vale destacar o seu grande trabalho como crítico literário e pensador tanto da poesia quanto da literatura. Ficou famoso por procurar integrar os poetas americanos com os escritores ingleses, chegando inclusive a incentivar e fomentar trabalhos de alguns como T.S Eliot, James Joyce, Yeats, entre tantos.
"Pound foi para a poesia deste século o que Einstein foi para a física"


Publicado no caderno “Idéias;/Livros”, Jornal do Brasil, em 20 de julho de 1996
 http://www.culturapara.art.br/opoema/ezrapound/ezrapound.htm

 

6 comentários:

Batata disse...

Parabéns a estes dois grandes mestres das artes. Ezra Pound e Jean- Baptiste Valadie. Arte nota 1000 e eterna.

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaa disse...

Estou impressionada com a beleza da arte de Valadie!! Deslumbramentos!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Um Blog simplesmente lindo, que exalta a Arte, que fala e respira por si. Parabéns Jean Baptiste Valadie. Poesia e música une a genialidade das artes.

Danilo Marins Vieira. disse...

Nossa aqui preciso tomar um fôlego, leio Ezra Pound como se eu estivesse declamando. Ele é um poeta intenso, perturbador, emocional. A arte de Jean-Baptiste Valadie é fora de série, tocante por sua beleza espetacular. Este blog é fenomenal e prazeroso de freqüentar. Aqui já fiz minha cadeira cativa e assim me inteiro do mundo mágico de melhor arte e poesia.
Admiração profunda por seu trabalho.
Danilo

Manuela Siqueira Jorge disse...

Fada do Mar Suave
Que bacana as poesias de Ezra Pound, que sempre tive curiosidade de conhecer, uma linguagem culta, mas de compreensão fácil. Aqui estou fazendo um mergulho nestas palavras, profundas e transparente deste poeta reconhecidamente com um dos melhores do mundo.
A arte de Jean Baptiste Valadie é fanta´stica e acompanha com maestria Ezra Pound e dou-lhe os parabéns pela escolha musical que sempre são de bom gosto.
Abraços da Manu

Viviani Araújo Prata disse...

Jean-Baptiste Valadie é um show!!! Belo! Intenso! Sensual!... Espetacular esta Galeria.
Ezra Pound, cada palavra de suas poesias são uma caricias que deslizam suaves ou toques que batem forte no peito e deixam uma reflexão. A música é densa e bela como tudo neste blog. Parabéns pelas escolhas dos artistas e pela formatação do blog.