Martín La Spina







SurReal ?


Se assemelha ao esquisito, surreal
bonito universo contido do que hoje é meu.
E por aí vai...vamos...também o teu.
Estranho, navega o livre formato do que já nasce feito,
à dúvida e à loucura tem direito.
Sonhos absurdos que veem à distância,
realidade tanta urge, reinventar o humano.

À mesa se unem silêncios,
celebram real comunhão
No desiludido chão-solidão.

Na sala, decorada de ilusão, se eleva, escala caules,
galhos paredes de braços abertos, pousam aves,
assistem televisão...zonzos ruídos da comunicação
Cala...

Abajures iluminam quarto dependurado.
Se dorme, de estrela apagada, vazia,
perscruta saídas, nada normal,
viaja na cauda de sonhos que embalam
canção de ninar sussurrada, universal...

Dialoga com a alma das coisas,
desperta a magia, imaginação,
onde todos sonham o irreal
de amar fantasia. Poesia???

Com a chave do coração
abre o que silencia e acalma.
Devaneio.
Alça vôo...
na criação.


Gaiô

4 comentários:

Alminha Iluminada disse...

Surrealismo que impressiona e nos leva além.

"SURREAL" a poesta diz tudo.

Cida Gaiofatto disse...

Fada visionária.

Visionária,
de clássicos mareada,
traz azuis de alma leve, matéria sensível dos sonhos...
Em tudo extraordinária,
Viaja a eternidade em buscas imaginárias, puras,
que retratem muitas vidas de teias emaranhadas,
de VanEycks, Monalisas, Ingres, revisitados.

Viaja a eternidade na transversal do tempo,
em tapeçaria mágica, bela e cósmica textura.
Onírico intervalo entre o que pensa e sente,
Inter-texto, a mente, esferas dimensionais,
no contexto o pretexto de interatividade...
Alça vôos a Arte, traça pontes, mergulha em reflexões,
múltiplo imerso em versos, alquimia-alteridade...som.

Tanto encanto, graça, espanto,
transpõe portal de esperança,
enche os olhos, de tantos desenganos,
serve em beleza a humanidade.
Desencontros que se buscam,
salvação dos tristes prantos,
sensível felicidade...

GaiÔ.

Cida Gaiofatto disse...

Ao poeta das cores,
Martín La Spina
e Fada do Mar Suave.

Belo e doce espanto...


Em tempo real, rabisco sentimentos
de um tempo sur...real...
Divago ares, aves, mares,
retardatários de um tempo, bem me lembro,
que os anos não trazem mais.
Rememoro o encantamento...
sintonia de alma fina, que aglutina a poesia
em loucura apaixonada, toda matéria evocada,
delicadas, aturdidas de leveza e magia.
Bailam etéreos delírios,
assombros, despertadores de emoção.
Tanto azul em vibração!
Quentes cores transversais,
alucinam em movimento, toda dança
desvendando portais que fazem a travessia.
Águas sondam o espaço,
aquáticas formas em céus envolvidos,
altares, sagrados mistérios,
uníssonas vozes em preces
unidade em espírito.
Tanta diversidade...revisita em releituras
imagens que inauguram o fantástico da luz
realidade e trancendência por fazer...
Belo e doce espanto!!!!
Revela meu canto....

Gaiô

Fada do Mar Suave disse...

“É na arte que o homem se ultrapassa definitivamente.”
Simone de Beauvoir


Gaiô é um privilégio ter uma amiga maravilhosa como você. Agradeço à linda e tocante poesia que escreveu para mim, que guardarei para sempre em minha memória. Também agradeço sua contribuição oferecida a este espaço poético, iluminando e encantando a todos nossos amigos visitantes, pois uma poeta como você faz toda a diferença.


Mártin La Spina, você despertou admiração em todos que tomaram contato com sua arte. É um grande pintor, mestre das cores, dos desenhos, nuances, expressões, etc.. Todo seu trabalho é profundamente belo. Agradeço a sua autorização e o brilho especial que trouxe a este Blog.


Aos amigos visitantes, venham sempre, que tudo é feito com amor para vocês. Agradeço muito!
Beijos da Fada do Mar Suave.