Cesar Santos






SEM POUSO

à beira de uma varanda
de chão em ruínas
a vida passa
com pressa
e o quê deixa
em seu rastro
vem-me em volúpia
imóvel
já sem as lágrimas
ainda em flor.

ainda
porvir.

e as janelas
já sem pouso
sorriem para lado nenhum.

(entre-mundos eu vivo
sem uma saber da outra)

Ana Paula Perissé

2 comentários:

Anônimo disse...

Sinto grande alegria de estar por aqui, encontrar nas imagens, sons e palavras destes artistas a possibilidade de construir o sonho real de um mundo melhor. Parabéns a todos. Bia Nunes.

Fada do Mar Suave disse...

Agradeço a participação dos amigos nesta postagem! Agradeço a poeta Ana Paula Perissé que emocionou com sua poética intensa, inteligente e bela e ao artista Cesar Santos com sua arte deslumbrante que encanta a todos. Voltem sempre!!! Com muito amor da Fada do Mar Suave.