Cesar Santos








RECUOS

o recuo
de um silêncio
à beira de ti.

Cansam-me as palavras
aquele verbo que se faz
em demasia
quando o vazio
ronda.

Prefiro ruídos
de carros antigos
sons enfurecidos
de sôfrego sentido
( um quase-poético)
nada mais.

Desejo a lentidão
compartilhada a dois
1´somatório de ilhas
fragmentadas numa tarde
a sentir ondulações

sou um arquipélago
que não anseia
por completude

                                                        Movimentos.

Deixemos a sós
entregues à pulsação da vida
crescida
grande.

( vivo de cada vez
o pedaço de céu
que arremesso para mim)


Ana Paula Perissé

5 comentários:

Alminha Iluminada disse...

Cesar Santos é fascinante, me apaixonei por estas telas tão coloridas e lindas. As poesias de Ana Paula Perissé são inteligentes e os sentimentos fortes. Grade poetiza e grande artista embalado por um jazz maravilhoso. Tudo isto feito por mãos de Fada, amiga e parceira querida. Sou eternamente agradecida por ter o privilégio de sua amizade.
Ana Clara

Anônimo disse...

Líndissimo blog! e muito raro de se ver e sentir. Bravo a todos!

katerine disse...

Impressionante as imagens e a poesia! Bravo!

Anônimo disse...

Empolgante!

Fada do Mar Suave disse...

Agradeço a participação dos amigos nesta postagem! Agradeço a poeta Ana Paula Perissé que emocionou com sua poética intensa, inteligente e bela e ao artista Cesar Santos com sua arte deslumbrante que encanta a todos. Voltem sempre!!! Com muito amor da Fada do Mar Suave.