Sergio Lucena






A Fonte

Tenho me revisitado.
Entôo cantos de maturidade
com timbres que buscam o simples, o natural...
E desconstruo...
modelos, normas, leis,
em longo tempo formatados.
Onde foi que parei?
Rasgo ventos em poemas,
raspo a pele bem no fundo,
Esfolo a terra, corpo físico
em matéria, sangue flui.

Mudo...
Eis a fonte!
Inusitado reencontro com a luz,
sol nos olhos me ofusca,
me atordoa, me confunde,
busco traços, brisa, laços,
danço a vida em suas nuanças
em suaves rodopios. Desafios?
Marco encontro com a criança,
Onde estava? Não sumiu.
Vem de volta, paulatina,
Brinca e chora, encara o medo,

Ri, gargalha em palhaçada,
amorosa, em bom humor.
Gosto muito do que vejo,
sou feliz com meu espelho...


Gaiô.




7 comentários:

Arlete Felfeli disse...

Minha Nossa!
Este cubo está incrível!
Que explosão de cores!
Estas telas me encheram os olhos!
Que incrível composição!
E a Gaiô... complementando a junção da Arte & Poesia!
Este BLOG é fantástico!
O melhor BLOG de expressão da Arte Plástica e POética!
Parabéns pelo lindo trabalho que você desenvolve neste BLOG incrível, Fada do Mar Suave!!!
Beijos!!!
Arlete Felfeli!

Loreta Anunciatta disse...

Comove o coração passar aqui. A beleza é tamanha que causa espanto e assombro.
Parabéns!!! Nota 1000!!!

Nicolas disse...

Impressionante beleza, riquesa de cores, sabores, aromas, sinfonias, alma, luz este espaço cultural.

Cida Gaiofatto disse...

À Fada do Mar Suave.

Querida formatadora de sonhos...
Quero meditar...
acender a luz do coração...
Incendiar meu ser,
de querer, entender
o essencial por viver...
E me vem a Fada,
com seu toque de mar,
suave, doce versejar,
magia de tudo poder,
em atos, conexões,
estéticas formatações,
compondo histórias,
incrustadas,
de preciosas memórias
que perpassam toda sorte de pessoas,
que se encontram acontecendo,
cada qual no seu sentir, conviver.
E você, amada fada,
vai passando de mansinho, se abrindo
ao perceber, de amar, se doar,
no fazer acontecer...
Grandes bênçãos se derramem
ao sagrado que acontece
em cada gesto ou palavra
que desperta a criação...transcender...
Te recebo, te acolho, te amo,
sem nunca ter te visto,
agradeço à vida tanto,
por ser eu, junto a você...
Junto a todos que se unem
que perfazem...o conviver.
Juntando luz...em ser...

Beijos, Gaiô.

Fada do Mar Suave disse...

Gaiô e Sergio Lucena

Dentro da solidão tão necessária, que exige o processo de criação, surge uma maravilhosa conexão, que muitas vezes não sabemos explicar, o porquê, alguns encontros acontecem. Encontros cheios de sentidos já que envolvem sentimentos, vivências e crescimento , como se estivéssemos juntos, num mesmo caminho, para cumprir uma missão.
Há uma sincronia de pensamentos e desejos, como se fôssemos almas companheiras que precisamos partilhar e assim nos sentimos inteiros.
Dia 14/09/2009 = 7, será um dia especial e cheio de alegria e beleza.
Considero um presente divino tê-los perto, neste canto, que transborda arte e poesia, convidando a todos ao mundo feliz da imaginação e do saber.
Com muito carinho da Fada do Mar Suave.

Fada do Mar Suave disse...

Agradeço a todos que aqui passaram e àqueles que de alguma forma contribuíram deixando sua mensagem aos artistas. Um Adeus Breve!

Fada do Mar Suave disse...

Agradeço a todos que aqui passaram e àqueles que de alguma forma contribuíram deixando sua mensagem aos artistas. Um Adeus Breve!