Bolek Budzyn

 

  

  

  

  

  

 


TATUABEM

Ossífico a dor
o dia


Tatuagem
de tatuar o espaço
livre

onde a queda
a neve
ou o meio-dia
multiplica

a multiplicação
do sangue
um sulco claríssimo

qualquer coisa
de vário
ou de estranho

a moleza branca
de um calor
rosado

Tatuagem feita
vezes quatro

Aquidade espessa
de chuva sem
passagem

olhos animais de cornos
azuis

e perfilados
com lágrimas por dentro
ou neve ossificada

Tatuagem
tatuo no ventre um filho
Mãe depois e nunca
verificada

Mãe de ovários
duros
e peitos madrugada
com um amante
por noite

um animal

uma harpa

Ou qualquer coisa
de bom
de esquecimento
de sono

o para sempre estar deitada
as pernas
sementes várias

o para sempre estar escolhida
entre mulheres
sem imagem

Tatuagem
violada
que se traz sob um dos
braços

uma agudeza
de água
epiderme rouca e parca

Partida
sem ser viagem

ou despedida
ou embarque

Tatuar
de tatuagem

sede de queda
oxidada

Maria Teresa Horta

2 comentários:

Batata disse...

Arte e poesia de qualidade rara e valiosa. Parabéns!

Fada do Mar Suave disse...

Agradeço aos amantes da arte e poesia que admiram e visitam este espaço, e aqui deixam suas mensagens. Voltem que sempre terá mensagens que tocam almas e corações, e assim estarei estimulada a buscar o melhor do mundo dos sonhos e do belo, para vocês que são queridos e amados.
Beijos da Fada do Mar Suave.