Bolek Budzyn

 

  

  

  

  

  

  


Poema antigo


O homem que percorro
com as mãos

e a lua que concebo
na altitude
do tédio


o oceano
penso paralelo - ventre
à praia intata
das janelas brancas
com silêncio

ciclamens-astros
entre as vozes que
calaram para sempre
o verbo - bússola
com raiz - grito de relevo

O homem que percorro
com as mãos

a estátua que consinto
a lua que concebo.

Maria Teresa Horta


2 comentários:

Batata disse...

Nossa, Bolek é um gênio das artes!!!!!!!!!!!

Fada do Mar Suave disse...

Agradeço aos amantes da arte e poesia que admiram e visitam este espaço, e aqui deixam suas mensagens. Voltem que sempre terá mensagens que tocam almas e corações, e assim estarei estimulada a buscar o melhor do mundo dos sonhos e do belo, para vocês que são queridos e amados.
Beijos da Fada do Mar Suave.