Catherine Abel








PACIÊNCIA


Não sei se é um novo amor
Que faz esquecer as dores
De um amor antigo que partiu,
Ou se é o tempo que,
Das dores de amor,
Cuida com seu passar vagaroso.


Não sei se é Deus
Que de tudo cuida,
De todas as feridas,
( as de desamor e as de amor),
Ou se quem de tudo cuida é o tempo,
Com seu passar vagaroso.


Seja quem for que cuide
Dessas dores todas,
Exige de nós paciência.
Muita paciência.


E assim vamos todos nós
Andando na corda bamba
Nesse circo de espantos
Onde somos pássaros indefesos.


Oswaldo Antônio Begiato

Um comentário:

Fada do Mar Suave disse...

Oswaldo Antônio Begiato, grande poeta e querido amigo, agradeço sua gentileza em contribuir com o Blog. Sua página é sempre um sucesso, pois suas poesias a todos encantam e emocionam e sua presença marcante traz brilho a este espaço. Logo faremos uma nova jornada poética, para o deleite de nossos amigos visitantes.
Com muito carinho da Fada do Mar Suave.

Aos amigos visitantes meu eterno carinho, pois são suas visitas que me estimula a continuar buscando pelo licor do belo para brindarmos juntos.
Beijos a todos com muito amor.