Jake Baddeley








Das asas.


Meio ao tino do silêncio infecundo,
     Espanto entre mar e cordilheiras.
Vaza pranto na secura das encostas,
Consume noites de nuvens passageiras.

Olhos fixos nos ícones estilhaçados:
Alegorias pregadas entre altar e lama.
Na mágoa santa a verdade imunda,
Cisterna de águas poluídas.

Acústica da rendição me assalta,
Atroz, indecorosa nota alta.
Na chama incauta dos fogos fátuos,
Remorso zomba em falso contralto.

Calo a pele nos limos dormentes,
Meu céu um abismo repente:
Sorve luz, sons, vertentes.

Recolhidos, os sonhos urgem,
Atritam-se, parem brasas.
Efêmero poço, o negro...
De onde sobem asas.


Stella de Sanctis

14 comentários:

Roger disse...

Telas que exoplodem cores, poesia que transmuta horrores em asas e voa de amores, meu Deus quantas flores!Amei,Stella!

Eclipse disse...

Stella pare asas nas labaredas dos sonhos,brindando-nos com este voo em ápice terminal que salta da palavra.Linda poesia e lindas as telas-Parabéns...

Adriana disse...

"Efêmero poço, o negro...
De onde sobem asas."
O cilo da vida em seus recomeços nas poesias,lindamente trabalhadas , de Stella de Sanctis.Belas telas!

lsancta disse...

Asas feridas, asas remendadas,asas renovadas,asas alisadas, novas asas!Asas pra que as quero! Lindo poema, lindas telas aladas.

Anônimo disse...

Muito lindo Stella!
Adorei as poesias dei a elas um valor profundo
De todas que já li as suas são as melhores do mundo
Milton

Paul disse...

Alma iluminada pare sonhos em brasas e faz asas incendiadas!Adorei poesia e telas!

Editora Nelpa disse...

Na mágoa santa a verdade imunda. Profundo e belo. Adorei.

Os Bufallo's MC disse...

Sonhos latentes atritam-se. De urgentes as asas incandescentes!
Lindo poema e telas.

Vicente

Anapaula disse...

Recolhidos, os sonhos urgem,
Atritam-se, parem brasas.
Efêmero poço, o negro...
De onde sobem asas.


Dúvidas que salvam,asas que se renovam...Vida!

kakai disse...

Das brasas rubras fogem as asas do sonho e retorna a verdade mesmo que imunda, porém a verdade retorna sempre...
bjs...Krica

Mirela Andressa disse...

Lindo poema que fala do sonho, mesmo na verdade amarga, mostrando a força de sonhar,num sonho que cria asas e alça seu voo no horizonte.Trabalho primoroso entre telas e poesia.Parabéns Fada!

Lucilene Soares disse...

Belíssimo!

Calo a pele nos limos dormentes,
Meu céu um abismo repente:
Sorve luz, sons, vertentes.
Stella de Sanctis

Alminha Iluminada disse...

Imagens e poemas que enche os olhos de visões mágicas e a alma fica em puro encantamento. Beijokas

Fada do Mar Suave disse...

Queridos amigos
Foi uma alegria imensa ler cada comentário aqui deixado prestigiando nossos artistas. É a participação de cada um de vocês que alimenta nossa alma e nos faz ir em frente, aprimorando cada vez mais nosso trabalho. Conto sempre com suas presenças e, por isto, sigo pesquisando para trazer o melhor na arte e na poesia.
Agradeço de coração a participação brilhante de Jake Baddeley na galeria e de Stella de Sanctis na poesia. Ambos trouxeram muita luz para este espaço e sei que todos os que tomaram contato com estes artistas saíram mais enriquecidos em suas vidas.
Desejo a todos um mundo colorido e poético. Com muito carinho da Fada do Mar Suave.