Arthur Braginsky



ARTHUR BRAGINSKY, nascido em 1965 em Mukachevo (Ucrânia), formou-se em artes em 1982. Mais tarde, estudou no
Fedorov Polygraphic Institute.
De 1987 a 1989 trabalhou como iluminador na filarmônica regional (Uzhgorod) e, mais tarde, como decorador de teatro de arte dramática. “O gênio ucraniano pinta suas modelos em um mundo de fantasia, capturando suas curvas mortais envolvidas em fitas de seda”, relata uma resenha crítica do People Magazine Austrália.

Quem der uma olhada em uma das mulheres criadas por Arthur, pode ver uma imagem clássica do corpo, com um bom conhecimento de anatomia; ao mesmo tempo, pode-se notar que essa mulher foi capturada em movimento. O que dá a dinâmica aos corpos parados? Por que outros artistas retratam seus personagens imóveis e as mulheres de Arthur, mesmo nuas, estão se movendo? O movimento nas pinturas é atingido devido a uma combinação de classicismo e futurismo, com inspiração em numerosas revistas de moda contemporâneas, embora a influência mais marcante venha da Playboy, com seu modo grosseiro de capturar a beleza feminina. Tal idéia fez Arthur pensar sobre a combinação do conhecimento da pintura clássica com a visão contemporânea da beleza. De maneira que foi criado um nu dinâmico e, como assinalado por admiradores da arte de Arthur Braginsky: "Este é um talento puro para criar a alma de uma mulher de uma maneira tal que o corpo se torna a própria alma!"










As palavras***


E se me der vontade de poetizar, virei!
Com você, para você, ou sem você.
Se me der vontade de descompor as palavras,
Sobre você, por você, apesar de você,
Virei!

E nesta insanidade premeditada, direi:
Com as palavras pensadas, com as palavras jogadas.


Rimarei.

Ou não rimarei.

Não importa!

A verdade é a necessária e valorosa amiga.
Das crianças e das Santas poetisas.
A vaidade das palavras traz a vida.
Em sabor, em lavor, deveras amor.

E se me der vontade de poetizar virei.

Ainda, se me der vontade de sonhar, concretizarei.
Do sonho a maior verdade é o inexato.
Do consciente o maior desejo é o incontido.

Da força das letras, o grande encanto,

É esta necessidade premente, de fingir docemente,
Que esta saudade que se sente é gentil e companheira.

Por isso, se me der vontade de poetizar virei.

Para não estar só, trazer você comigo, um trato antigo.
Uma vontade nova.
Uma rosa vermelha de anos, e um desejo novato de instantes.


Kátia Torres Negrisoli


Quem sou eu

Kátia Torres Negrisoli residente de Adamantina, São Paulo.
Mãe, mulher, profissional. Presente na poesia. Apreciadora do belo, bom e verdadeiro.
Palavra definidora: coragem = cor, em latim, significa coração + agem, de agir; ação guiada pelo coração.





6 comentários:

Grêmio - IMORTAL sempre disse...

Um encontro explosivo da poética visual e a poética escrita. Grandes talentos trazidos para despertar nossas !emoções.
Arthur Branginsky e Kátia Torres Negrisole estão brilhando neste céu azul de Fada. Parabéns!

Nicolas disse...

Parabéns com louvor aos artistas aqui postados.

Gilmar Santos Café disse...

Um exagero de beleza! Que arte! Parabéns a Arthur Braginsky!
Uma escolha fantástica!
Estou lendo as poesias e gostando muito. Feliz madrugada!

julia guiran disse...

muito lindo, sensual. musica, poesias, telas. parabens a todos. bjos

Olga Silvia Pereira disse...

Como disse: vou às lágrimas neste espaço e agradeço aos artistas postados que são iluminados e que Deus a abençõe sempre por viabilizar estes encantos a nós amigos que a temos como referência em cultura.
Abraços da Olga

Fada do Mar Suave disse...

Kátia é uma alegria imensa postar suas poesias que a todos emocionaram e encantaram. E a arte belíssima de Arthur Braginski iluminou este espaço, a você Arthur todo o meu respeito e admiração. Obrigada!

Agradeço aos amigos que nos visitaram, deixando seus comentários estimulantes. Isso é energia para todos nós, principalmente os poetas e artistas que apresentamos. Voltem sempre, é um prazer enorme encontrá-los a cada postagem.
Com todo o carinho,

Fada do Mar Suave