Arthur Braginsky









Eu encanto, lira tanto


E se eu estiver sentindo falta, irei!
E se estiver cansada, pararei...
Mas os teus olhos em brilho levarei,
Muito além do que possas imaginar.

O teu cansaço aliviarei, teu resgate farei..................
E se antes de tudo, o mais a dizer for o silêncio,
Inenarrável silêncio, em tua boca morrerei,
Deixarei o hálito envolver em longa aura de frescor.

Imantarei a pedra enrolada pedra,
que escorre em meles sutis e gentis.

Mais que tudo: a falta geme, o tido ladra, o frio salta, os olhos buscam a esfera.
A esfera sucinta inacreditável espera,
A manta calcada em pés, em fés e dizeres.

O teu prazer, o meu querer, muito mais que bem!

Kátia Torres Negrisoli

5 comentários:

Nicolas disse...

Ternura! Delicada beleza!

Lilás disse...

Arrebatador! Cores, formas, letras, sons de tirar o fôlego.

Aparecida disse...

Singelo... Lindo!!!

Osvaldo Heinze disse...

Parabéns ARTHUR!!!
Tua arte é tocante
beleza a flor da pele.
Calor para o peito
sorriso para os olhos...

Abraços!

Fada do Mar Suave disse...

Kátia é uma alegria imensa postar suas poesias que a todos emocionaram e encantaram. E a arte belíssima de Arthur Braginski iluminou este espaço, a você Arthur todo o meu respeito e admiração. Obrigada!

Agradeço aos amigos que nos visitaram, deixando seus comentários estimulantes. Isso é energia para todos nós, principalmente os poetas e artistas que apresentamos. Voltem sempre, é um prazer enorme encontrá-los a cada postagem.
Com todo o carinho,

Fada do Mar Suave