Arthur Braginsky








A noite em vermelho*


A noite desce, a noite tem pressa...


A noite cresce, a noite entontece...

A noite fermenta, a noite!

A noite enlouquece, faz festa, quermesse!

A noite escama, implora e chama.

A noite incendeia, vagueia, clareia.

A noite estrela estrelas, cintila lua.

Na noite há cinzas e nuvens escondidas.

A noite é assim, misteriosa e calada.

A noite sem fim, do meu bem-amado.

A noite de mim, deixou-me assim:

... poeta discreta, amante in carmim!


Kátia Torres Negrisole

3 comentários:

Nicolas disse...

Parabéns!

Kátia Torres disse...

Obrigada, Nicolas pelos comentários postados. Desconfio que a Fada é um anjo!

k.t.n.*

Fada do Mar Suave disse...

Kátia é uma alegria imensa postar suas poesias que a todos emocionaram e encantaram. E a arte belíssima de Arthur Braginski iluminou este espaço, a você Arthur todo o meu respeito e admiração. Obrigada!

Agradeço aos amigos que nos visitaram, deixando seus comentários estimulantes. Isso é energia para todos nós, principalmente os poetas e artistas que apresentamos. Voltem sempre, é um prazer enorme encontrá-los a cada postagem.
Com todo o carinho,

Fada do Mar Suave