Arthur Braginsky








amor criança


Não sei mais segurar criança,
não sei mais segurar neném...
Mas em meu colo tenho a esperança, 
a felicidade e o contentamento.

Não sei ajeitar o pequeno,
Nem controlar os trejeitos...
Mas sei que amo àqueles
que estão junto ao meu peito.

Não tem jeito, 
amor sem fim é assim
Fiz trovinha ,
este versinho 
para mim, assim, assim...

Velho jardim...
em reforma!


Kátia Torres Negrisoli

3 comentários:

Grêmio - IMORTAL sempre disse...

Lindo!!!

Nicolas disse...

Parabéns!

Fada do Mar Suave disse...

Kátia é uma alegria imensa postar suas poesias que a todos emocionaram e encantaram. E a arte belíssima de Arthur Braginski iluminou este espaço, a você Arthur todo o meu respeito e admiração. Obrigada!

Agradeço aos amigos que nos visitaram, deixando seus comentários estimulantes. Isso é energia para todos nós, principalmente os poetas e artistas que apresentamos. Voltem sempre, é um prazer enorme encontrá-los a cada postagem.
Com todo o carinho,

Fada do Mar Suave