Lauri Blank






A vida tem disso

Conhecemos o que desejamos
Vemos no outro o que queremos ver
Sabemos o que nos é permitido saber
Tememos o que pode nos desfazer

Sofremos sempre as consequências do ser
Queremos um espelho para ver
Tocar a própria face sem ela desfalecer
Amar e amar sem enlouquecer

Assistimos a vida como se o controle pudéssemos ter
Riscos passamos sem o tempo para fortalecer
Lamentamos o medo por receio de perder
Entregamos alma e a dignidade sem mesmo ver

Acontece que algo de bom o outro pode trazer
Da desconfiança nasce o medo do ser
É por isso que muitos preferem o ter
Em tempos pós-modernos o aparecer

Difícil não cultivar insegurança quando temos o que temer
Soldado avisado de guerra não deseja correr
Quer de qualquer forma vencer
Seria de bom tamanho se o inimigo se deixasse conhecer

A vida é esse constante amanhecer
Em meio a essa guerra não sobra tempo para erros cometer
Amar é uma saída para a batalha vencer


Lúcio Alves de Barros

2 comentários:

Kátia Torres disse...

Esta poesia remete também á questão do espelho, do inverso... parabéns, Lúcio!!

k.t.n.*

Fada do Mar Suave disse...

Poeta Lúcio Alves de Barros, agradeço sua gentileza, delicadeza em contribuir com o Blog. É sempre uma emoção fazer sua página e suas poesias tocam o coração de todos que a lêem. Sua presença é sempre uma dádiva divina.
A arte de Lauri Blank é belíssima, enche os olhos de belezas e a alma de visões mágicas.
Sou grata a vocês amigos que nos visitam e deixam mensagens carinhosas aos artistas que iluminam este espaço.

Com carinho da Fada do Mar Suave.