Sergio Niculitcheff







Era uma vez, lá na Judéia, um rei.
Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava, reparava e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.

E, na verdade, assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
Sem mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da nação.

Mas, por acaso ou milagre, aconteceu
Que, num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenito
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças.

Miguel Torga

2 comentários:

Pedro Paulo - SC disse...

Chocante arte que estremece ao contemplá-la e faz meu ser pulsar ardentemente. Grande talento brasileiro Sergio Niculitcheff. Admiração profunda por esta arte.

Fada do Mar Suave disse...

Dia felizes em 2011!!!

Queridos amigos, quero agradecer de coração suas presenças no Blog durante o ano passado. Foi maravilhoso poder compartilhar a beleza da arte com vocês e o meu maior propósito é continuar nesta caminhada neste novo ano e em outros que virão. Vou continuar minhas pesquisas em artes e poesias podendo assim levar o belo para que nossas vidas fiquem mais suaves e cheias de boas emoções.
Quero agradecer ao ilustre artista Sergio Niculitcheff que autorizou a postagem de sua bela arte neste espaço trazendo luz e encanto para nossos corações. Espero contar sempre com sua presença brilhante e amiga.
A todos os artistas plásticos e poetas postados o meu mais sincero agradecimento e o meu desejo de muito sucesso, sorte e amor a todos vocês em 2011.
Com amor da Fada do Mar Suave.