Balthus





SANTUÁRIO



O santuário foi violado
Fato imperdoável
Invasão de fato
Quem será imputável?



Não há penitência
Não há sermão
Que traga o perdão



O mal é irremediável
A perda é incontestável
O sentimento é recolhido
A um santuário desconhecido



Para ser guardado
Em local protegido
Para não ser mais violado
E finalmente esquecido.




Ysolda Cabral


4 comentários:

Anônimo disse...

Isolda maravilhosa,.. Gosto muito dos teus poemas . beijos e que Deus te traga luz para continuar com este teu talento. Maysa Viotto Vegetariana.

Anônimo disse...

poetisa e linda mulher Isolda
Sempre com tanta delicadeza e com tanta beleza nos teus poemas. abraços. parabéns..
Com Carinho de Bety Viotto.

Raquel Cordeiro Amaral disse...

Lindos versos de Ysolda Cabral, compondo com a magnetude de Balthus. Uma composiçã perfeita ao som do tema felliniano Amarcord.
Aqui é um espaço cultural raro. Parabéns, Fada!

Fada do Mar Suave disse...

Querida poeta Ysolda

Sua poesia enobreceu este espaço com sua sensibilidade, delicadeza e beleza. Foi maravilhoso tê-la nesta página compondo com a beleza da poética visual de Balthus.
Agradeço de coração, sua contribuição para este espaço que leva o que há de melhor na poesia e na arte para o deleite de nossos visitantes.
Sei que todos que passaram por aqui levaram consigo a magia e a beleza de seus versos e rimas.
Agradeço também aqueles que deixaram seus registros enaltecendo nossos artistas.
Um grande abraço da Fada do Mar Suave.