Balthus



SOU ESQUISITA



O vento está frio e silencioso,
O tempo é aparentemente calmo,
Sinto um desalento extraordinário,
E, quando estou assim leio um salmo.



Pego a Bíblia, presente de meu pai,
Abro e dou de cara com o Salmo de Davi,
O de número 28 que começa assim:



“A ti clamo, ó Senhor; rocha minha,
Não sejas surdo para comigo...”
Nesse ponto paro e não continuo.



Lá fora ouço uma música suave.
Ora! Nem Ele e nem eu,
Somos surdos.
Mais que absurdo!



Sinto meu espírito relaxar,
Minha alma se aquietar,
E meu coração acelerar.
Digo pra mim:



Vai tomar banho Ysolda!
Se ajeita, se põe bem bonita,
Deixa de ser esquisita,
E vai viver tua vida.



Ysolda Cabral


2 comentários:

Anabell Lee disse...

Maravilhaaaa!!!!!!!!!!!! Balthus!!!!!!!!!!!!!!
Amo de paixão este mestre da pintura moderna. É o melhor de todos, o rei dos gatos, um apaixonado pela pureza da beleza. Um grande artista, aliás um fenômeno.
Seu Blog é 1000.
Anabell

Fada do Mar Suave disse...

Querida poeta Ysolda

Sua poesia enobreceu este espaço com sua sensibilidade, delicadeza e beleza. Foi maravilhoso tê-la nesta página compondo com a beleza da poética visual de Balthus.
Agradeço de coração, sua contribuição para este espaço que leva o que há de melhor na poesia e na arte para o deleite de nossos visitantes.
Sei que todos que passaram por aqui levaram consigo a magia e a beleza de seus versos e rimas.
Agradeço também aqueles que deixaram seus registros enaltecendo nossos artistas.
Um grande abraço da Fada do Mar Suave.