Svetlana Valueva



 

 

 

 


A Noite


A nebulosidade ameaçadora
Tolda o éter, mancha a gleba, agride os rios
E urde amplas teias de carvões sombrios
No ar que álacre e radiante, há instantes, fora.

A água transubstancia-se. A onda estoura
Na negridão do oceano e entre os navios
Troa bárbara zoada de ais bravios,
Extraordinariamente atordoadora.

A custódia do anímico registro
A planetária escuridão se anexa...
Somente, iguais a espiões que acordam cedo,

Ficam brilhando com fulgor sinistro
Dentro da treva omnímoda e complexa
Os olhos fundos dos que estão com medo!


Augusto dos Anjos


2 comentários:

Cacau Braz disse...

O poeta Augusto dos Anjos é de uma sensibilidade ímpar, seus versos são lindos. Em qualquer poesia ele reflete sua beleza interior e mostra o que há de melhor em seu interior, como o amor, a doçura, o carinho de sua juventude e vivência. Pena de ter partido tão jovem. A arte de Svetlana Valueva é de arrepiar e tenho que parar e respirar fundo para assimilar sua beleza. Tudo fantástico e mágico está esta página. Você a cada dia nos emociona e nos ensinam o caminho da verdadeira beleza. Obrigada!

Fada do Mar Suave disse...

Agradeço a cada visitante, em especial aos que deixaram seus registros sobre esta postagem, e não posso deixar de fazer uma observação, o quanto é gostosa a relação com os meus amigos dos e-mails, que são assíduos navegantes e sempre enviam suas mensagens dizendo o que sentiram quando entraram em contato com estas artes.
Meu eterno agradecimento a cada um de vocês!
Beijos da Fada do Mar Suave.