Svetlana Valueva




Svetlana Valueva nasceu em Moscou em 24 de outubro de 1966 e se recorda de desenhar e pintar desde bebê. Segundo sua mãe, as pinturas de um pássaro, um animal parecido com um cão e uma rainha foram feitas com 18 meses de idade. Seu pai, um artista, reconheceu o talento da menina e se tornou seu primeiro e mais importante professor, encorajando-a a pintar junto com ele em seu estúdio. Com 5 anos, Svetlana começou a escrever poemas e contos, expressando os sentimentos dos personagens que desenhava. A arte dessa criança prodígio é parte da coleção particular de seus pais. Atualmente, pinta mulheres em contraste com formas bizarras, para celebrar sua beleza e aprecia transformações e diversidade. O espaço entre as margens de um quadro deve refletir vida, como um espelho. A nostalgia pela magnífica Idade da Prata na Rússia atraiu Svetlana para o passado, um período conhecido no ocidente como art nouveau.
 

 

 

 

 

 


VERSOS ÍNTIMOS

Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!


Augusto dos Anjos

Augusto dos Anjos nasceu no Engenho Pau d'Arco, no município de Sapé, estado da Paraíba. Foi educado nas primeiras letras pelo pai e estudou no Liceu Paraibano, aonde viria a ser professor em 1908. Precoce poeta brasileiro compôs os primeiros versos aos sete anos de idade.
Em 1903, ingressou no curso de Direito na Faculdade de Direito do Recife, bacharelando-se em 1907. Em 1910 casa-se com Ester Fialho. Seu contato com a leitura influenciaria muito na construção de sua dialética poética e visão de mundo.
Com a obra de Herbert Spencer, teria aprendido a incapacidade de se conhecer a essência das coisas e compreendido a evolução da natureza e da humanidade. De Ernst Haeckel, teria absorvido o conceito da monera como princípio da vida, e de que a morte e a vida são um puro fato químico. Arthur Schopenhauer o teria inspirado a perceber que o aniquilamento da vontade própria seria a única saída para o ser humano.
E da Bíblia Sagrada ao qual, também, não contestava sua essência espiritualística, usando-a para contrapor, de forma poeticamente agressiva, os pensamentos remanescentes, em principal os ideais iluministas/materialistas que, endeusando-se, se emergiam na sua época.
Essa filosofia, fora do contexto europeu em que nascera para Augusto dos Anjos seria a demonstração da realidade que via ao seu redor, com a crise de um modo de produção pré-materialista, proprietários falindo e ex-escravos na miséria. O mundo seria representado por ele, então, como repleto dessa tragédia, cada ser vivenciando-a no nascimento e na morte.
Dedicou-se ao magistério, transferindo-se para o Rio de Janeiro, onde foi professor em vários estabelecimentos de ensino. Faleceu em 12 de novembro de 1914, às 4 horas da madrugada, aos 30 anos, em Leopoldina, Minas Gerais, onde era diretor de um grupo escolar. A causa de sua morte foi a pneumonia.
Durante sua vida, publicou vários poemas em periódicos, o primeiro, Saudade, em 1900. Em 1912, publicou seu livro único de poemas, Eu. Após sua morte, seu amigo Órris Soares organizaria uma edição chamada Eu e Outras Poesias, incluindo poemas até então não publicados pelo autor.


10 comentários:

Anabell Lee disse...

Fada do Mar

Cá estou profundamente emocionada, neste mar azul poético. Que maravilha de Galeria! Estou extasiada com esta arte de Svetlana Valueva. Onde iria conhecer tal encanto, se não fosse nesta imensidão azul? E o que dizer de Augusto dos Anjos, o maior poeta brasileiro? Só emoção! E quanta emoção! As lágrimas rolam em meu rosto e hoje ficarei por aqui todo o tempo que meu coração mandar.
A ti querida Fada só gratidão por este amor compartilhado.
Beijos da Anabell Lee

Analuka disse...

Caríssima Fada do Mar!!! Esta postagem está magnífica, e perfeitamente afinada ao teu ser sensível! Adoro o trabalho desta artista, que sabe tão bem mesclar sonho, suavidade e sensualidade!!! Uma delícia encontrar sua arte aqui em teu blog. Estou certa de que teus visitantes saem desta página com a alma mais leve, alegre e luminosa, depois de beber esta "seiva de arte" que tu ofereces! Beijos pintados e alados, e um ano pleno de luz, arte e amor para ti, querida amiga.

Tania Rocha Paulino disse...

Parabéns por deixar o mundo mais belo, amante e sensível! Ah, que maravilha de espaço é este! Um mundo mágico, repleto de fantasias, sensualidade e principalmente vida inteligente. Mais uma vez venho parabenizá-la, pelo bom gosto, pelas escolhas das artes, dos poemas, dos slides e músicas. Um blog que diferencia dos outros pela alta qualidade. Amo estar aqui e agradeço pela partilha. Beijos azuis.

Rosa Helena Gnochi disse...

Fada do Mar
Gostei muito de seu blog por ser intenso quase visceral, onde me identifico muito. Sou professora de Educação Artística e logo retornam as aulas e como sempre recomendo aos alunos pesquisa em artes. É importante este seu olhar sobre a arte, assim nos presenteia com o inusitado e o surpreendente. Interessante a composição desta galeria com as poesias, que acaba por incentivar a prática da leitura. A música é sublime e aqui é um ambiente sofisticado e verdadeiramente elegante. Minha admiração por você é grande. Beijos da Rosa Helena

Nícia Castro disse...

Parabéns! Fantástica postagem! Sublime!

maria tereza disse...

parabens!!!pl sua bela arte alias aki neste blog so entra o k e belo!!!!!nem podia nada estragar esta belezura milbjos

Elizabeth Filgueiras. disse...

Augusto dos Anjos e seus poemas compondo com a arte de Svetlana Valueva mais a música de Katie Melua são uma combinação explosiva de todos os sentimentos guardados em meu coração que despertou como um vulcão em erupção soltando suas larvas e respingando fogo em todos os lados. Nenhum outro me tocou tão profundamente, chegou a doer meu coração. Agradeço a graça divina de conhecer sua arte que tanto me mexe com meus sentidos. Beijos

Entre as palavras disse...

Oi Fada,

Que bela homenagem a um dos mais importantes, intensos e belos poetas de nossa língua portuguesa. Augusto dos Anjos é daqueles que levam um pouco da gente e com você eu vou a qualquer lugar.

Abraços e PAZ

e meus eternos parabéns...

Analuka disse...

Mais uma vez passeando por aqui, para me deleitar! Mergulho no teu blog de azuis, lilases, róseos, corais, alizarim, como quem entre num mundo de pulsação, beleza, suavidade, intensidade e cor... Banho-me em belas e sensuais imagens, bebo a seiva poética, palpito junto com as letras-asas-algas da arte, poesia criando passagens e pontes entre almas e mundos! Beijos pintados, caríssima Fada do Mar, e parabéns pelo teu trabalho primoroso.

Fada do Mar Suave disse...

Agradeço a cada visitante, em especial aos que deixaram seus registros sobre esta postagem, e não posso deixar de fazer uma observação, o quanto é gostosa a relação com os meus amigos dos e-mails, que são assíduos navegantes e sempre enviam suas mensagens dizendo o que sentiram quando entraram em contato com estas artes.
Meu eterno agradecimento a cada um de vocês!
Beijos da Fada do Mar Suave.